Marcadores principais

Resenha: O Teorema Katherine, de John Green

14.2.14

Título: O Teorema Katherine.
Autor: John Green.
Editora: Intrínseca.
Número de Páginas: 302.
Sinopse: Após seu mais recente e traumático pé na bunda - o décimo nono de sua ainda jovem vida, todos perpetrados por namoradas de nome Katherine - Colin Singleton resolve cair na estrada. Dirigindo o Rabecão de Satã, com seu caderninho de anotações no bolso e o melhor amigo no carona, o ex-criança prodígio, viciado em anagramas e PhD em levar o fora, descobre sua verdadeira missão: elaborar e comprovar o Teorema Fundamental da Previsibilidade das Katherines, que tornará possível antever, através da linguagem universal da matemática, o desfecho de qualquer relacionamento antes mesmo que as duas pessoas se conheçam.
Uma descoberta que vai entrar para a história, vai vingar séculos de injusta vantagem entre Terminantes e Terminados e, enfim, elevará Colin Singleton diretamente ao distinto posto de gênio da humanidade. Também, é claro, vai ajudá-lo a reconquistar sua garota. Ou, pelo menos, é isso o que ele espera.
Livro no: Orelha de Livro - Skoob.



Narrado em terceira pessoa, O Teorema Katherine tem como protagonista Colin Singleton, que quando criança, foi considerado um prodígio. Desde então, passou a dedicar cada um de seus dias na luta para se tornar um gênio. Os maiores sonhos de Colin são 1) ter um momento eureca, o que o levaria a 2) ser um gênio e 3) alguém importante.
"Qual o sentido de estar vivo se você nem ao menos tenta fazer algo extraordinário?"
♦ Página 46.
Porém, ele havia acabado de se formar no ensino médio, e estava deprimido. Ele já tinha 17 anos, nunca havia feito algo de extraordinário para a humanidade, e estava começando a perceber que seu sonho de se tornar um gênio jamais se realizaria. E, para contribuir com esse momento triste na vida de Colin, sua namorada, Katherine XIX, a décima nona garota de nome K-a-t-h-e-r-i-n-e que Colin namorou na vida, a garota que ele mais amou, terminou com ele. Sim, Colin já namorou 19 Katherines, e todas terminaram com ele.

Colin nunca possuiu habilidades sociais, tanto que durante toda sua vida, ele só fez um amigo, Hassan. E foi esse amigo que apareceu com o que afirmava ser a solução para os problemas de Colin: uma viagem de carro. Sem rumo, sem destino certo, simplesmente botar o pé na estrada até a dor passar. Colin topou a ideia, pegou o Rebecão de Satã (seu carro, que possui este apelido tão carinhoso) e os dois foram (depois de convencerem seus pais, o que foi surpreendentemente fácil).

Lá pelas tantas, eles decidem visitar o túmulo do arquiduque Francisco Ferdinando, que está enterrado na cidade de Gutshot. É nessa mesma cidade que Colin e Hassan conhecem Lindsey Lee Wells, sua mãe, namorado, amigos e outras pessoas mais.

Devido a uma proposta de emprego, Hassan e Colin decidem ficar em Gutshot. É nessa mesma cidade que Colin tem o seu primeiro momento eureca e decide criar o Teorema Fundamental da Previsibilidade das Katherines que, na teoria, seria capaz de prever quanto tempo um namoro duraria, quem seria o terminante e o terminado da relação. Só que desenvolver esse teorema não é uma tarefa lá muito fácil, e enquanto Colin tenta achar a fórmula perfeita para o teorema, vai vivendo em Gutshot, junto com novas pessoas, novos amigos; enquanto aprende um pouquinho mais sobre a vida e, talvez, pela primeira vez, vive de verdade.
"Então, nós todos somos importantes - talvez menos do que muito, mas sempre mais do que nada."
♦ Página 283.
Para ser sincera, eu não estava lá com muita vontade de ler esse livro. Tinha certeza de que iria boiar lindamente nas partes que possuem matemática, o que de fato aconteceu, whatever, eu gostei do livro mesmo assim. Ao contrário do que eu pensava, esse não é um livro focado na matemática, mas sim na vida, personalidade e relações dos personagens, com as devidas reflexões e metáforas, tão presentes nos livros do nosso querido John Green.

O Teorema Katherine possui uma história leve e divertida, que eu recomendo bastante. Teve gente que não gostou, que achou o livro fraco. Mas eu acho que vale a pena experimentar a leitura, vai que você se surpreende positivamente assim como eu me surpreendi?

Quotes:
"Se pudessem me ver do jeito que eu me vejo, se pudessem viver nos meus pensamentos, será que alguém, qualquer pessoa, me amaria?" 

♦ Página 202.
"É possível amar muito alguém, ele pensou. Mas o tamanho do seu amor por uma pessoa nunca vai ser páreo para o tamanho da saudade que você vai sentir dela.

♦ Página 141.
Classificação:  (4 estrelas).
Espero que tenha gostado da resenha. Você já leu ou vai ler O Teorema Katherine?
Beijos e até mais!

9 comentários:

  1. Eu tenho e estou louca para ler... Eu amo o John Green! Estou lendo "Cidades de Papel" agora! :) Tem post novo lá no Blog, já viu? Passa lá e comenta o que achou! Beijos <3 http://gostosdeadolescentes.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  2. Assim como você eu também não tinha muita vontade de ler, mas agora após ler sua resenha eu quero ler. Adorei as citações. :)
    Beijos || Unlocked Land ❤

    ResponderExcluir
  3. O livro é do John Green e só isso me levaria normalmente a ler, mas eu confesso que, dentre os livros dele, esse era um que vivia mudando de opinião. Digo, uma hora eu via uma resenha superpositiva - como a sua - e me decidia de ler; em outro momento, porém, acaba lendo uma resenha negativa do livro e ficava meio distante dele. Mas, no geral, a história tem uma premissa bem legal e, apesar da matemática envolvida - e fico feliz que você tenha ressaltado que o foco não é esse, aliás -, parece mesmo ser um livro bem divertido e, em contrapartida, meio reflexivo (? - negue se eu estiver errada, pls). Mas ainda estou me decidindo sobre ele... Enquanto isso, porém, a vontade maior é de ler Cidades de Papel e até Quem é Você, Alasca? - que divide muitas opiniões, acho. De qualquer forma, amei os quotes que você selecionou e a resenha, no fim das contas, ficou ótima!
    Muitos beijos...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Mesmo tendo gostado de O Teorema Katherine, eu achei Cidades de Papel muuuito melhor, é o meu livro favorito do João Verde até então. Pois é, Quem é Você, Alasca? divide opiniões, e eu já comprei meu exemplar e logo logo vou descobrir se faço parte do povo que gosta dele ou não, hehe.
      Obrigada!
      Beijos ♥

      Excluir
  4. Bem, eu comecei a ler este livro em e-book e não consegui terminar. Estava achando muito chato. (parei na parte que eles saem de carro, vão visitar uma cruz ou algo assim.) Sério, não está na minha listinha, mas não vou dizer que nunca quero terminar. Quem sabe lendo no livro fica melhor (eu estava lendo pelo celular). Ou ele me surpreende, como você disse? :)

    Beijos.
    Meu jardim Secreto
    Facebook | Twitter | Instagram

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Uma coisa que eu não disse na resenha: o começo desse livro é muito ruim. Mas depois, ele vai ficando melhor =)
      Beijos ♥

      Excluir
  5. Geeeeente, todo mundo tá falando desse escritor e eu ainda não li nenhum livro dele HAHAHA Mas eu vou ler sim, pq ele está na minha lista faz tempo rs A história parece bem bacana, sim. Fiquei interessada :3 Talvez eu leia algum dia ;)
    Beijos!

    http://enquantoachuvadissolveacidade.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  6. Como eu disse na minha resenha desse livro, eu estava com um pé atras com esse livro.
    As vezes, eu via resenhas positivas (tipo a sua) e ficava doida pra ler o livro, mas também lia resenhas negativas e ficava com medo de não gostar do livro.
    No fim, eu acabei lendo ele e adorando. Ele é um dos meus favoritos.

    Beijos,
    Cléo
    pobresnalivraria.blogspot.com.br

    ResponderExcluir